Pesquise um tema aqui

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Sem raízes ocultas não há paisagens belas



Ponte sobre Rio Leitão Mamanguape/PB Arquivo pessoal

As raízes das belas árvores não fazem questão de serem vistas ou elogiadas. Elas não têm ciúmes das flores que são queridas e admiradas. Não se queixam por não serem vistas; e, quanto mais se tornam fortes e viçosas, mais se aprofundam no solo, como se desejassem o completo anonimato. Todos olham para as flores, frutos, folhas e galhos. Muitos admiram o maravilhoso tronco de alguma imponente árvore. Mas, ninguém pergunta como são as suas raízes, nem qual a cor que elas têm. O aparente é quase sempre mais querido e desejado


Mas as raízes não se importam por não serem aplaudidas, pois é como se soubessem que nada que aparece seria alguma coisa se elas não lhe dessem a sustentação. Sem raiz não cresce o tronco, não brotam as folhas, as flores não aparecem e os frutos jamais vingarão. Quase ninguém percebe que são as raízes ocultas que promovem toda a beleza da planta. 

Mas elas não buscam recompensa por isto, nem se deprimem por não serem convidadas para os grandes eventos. Não é comum enfeitar uma festa com raízes. Mas elas são as mais importantes. Se tirarem as flores, arrancarem as folhas, quebrarem os galhos e até cortarem o tronco, ainda assim haverá condições da árvore crescer novamente. Mas, sem as raízes tudo morre, tudo seca, tudo fica feio.

Algumas pessoas querem ser flores, outras desejam ser folhas; há quem aceite ser fruto e muitos se firmam na ideia de ser tronco. Mas quase ninguém aceita ser raiz e viver anonimamente dando sustentação para muitas vidas. 

Os que são como as raízes fazem seu papel com amor e dedicação. Doam-se voluntariamente sem buscar o reconhecimento popular e sem se importar com a glória vinda das populações. Eles apenas se fincam dentro de suas próprias funções, fazendo tudo que sabem e sendo tudo que realmente são, sem muita preocupação, sem desespero, sem sonhos esplendorosos e com muito pouco vislumbre de quem recebe suas benesses. 

Muitos adoecem querendo ser flores ou frutos; quase todos querem aparecer ou serem aplaudidos, sem perceber que as flores murcham e que os frutos morrem quase sempre após serem aclamados pelas grandes massas. Mas a raiz permanece até o fim, sem fama mas com muita vida para oferecer às novas flores que surgirão no lugar das que se foram. 

Quem quiser ser como a flor, que seja; quem desejar ser fruto, que busque ser; mas quem aceitar ser raiz poderá ser muito mais feliz, pois as raízes ocultas são indispensáveis à beleza da paisagem. 

Joacil Luis - Psicólogo - CRP/ 13/6160   contato: (83) 98745 4396 / 99962 5283 (whatsapp).

Nenhum comentário:

Postar um comentário